Segunda-feira, 19 de Fevereiro de 2007

Sobre Rómulo de Carvalho



Rómulo Vasco da Gama de Carvalho foi professor, pedagogo e autor de manuais escolares, historiador da ciência e da educação, divulgador científico e poeta. Nasceu em 24 de Novembro de 1906, na Rua do Arco do Limoeiro, em Lisboa. Filho de José Avelino da Gama de Carvalho, natural de Tavira, e de Rosa das Dores Oliveira Gama de Carvalho, natural de Faro. Fez a instrução primária no Colégio de Santa Maria, em Lisboa. Entre 1917 e 1925 estudou no Liceu Gil Vicente. Em 1925 matriculou-se no Curso Preparatório de Engenharia Militar da Faculdade de Ciências. Em 1928 mudou-se para o Porto, onde se matriculou no curso de Ciências Físico-Químicas, na Faculdade de Ciências da Universidade do Porto, que concluiu em 1931. Passados três anos realizou o Exame de Estado para o Ensino Liceal, iniciando a actividade docente no Liceu de Camões (Lisboa), continuando no Liceu D. João III (Coimbra) e, depois no Liceu Pedro Nunes (Lisboa), sendo aqui Professor Metodólogo a partir de 1958. A partir de 1946 foi um dos directores da Gazeta de Física, órgão da Sociedade Portuguesa de Física, cargo que exerceu até 1974.

Mas para além de homem da ciência, Rómulo de Carvalho é um grande poeta. Sob o pseudónimo de António Gedeão enriqueceu de forma decisiva a literatura portuguesa do século XX. Gedeão é autor de inúmeros belos poemas, “A Pedra Filosofal” ou “Lágrima de Preta” são dois exemplos bem conhecidos. Estes e outros mostram uma originalidade indiscutível e um génio poético impar! Apesar do enorme génio poético, só aos 50 anos decide publicar o seu primeiro livro de poesia. O autor incorpora na sua poesia uma cultura científica actual numa mistura de meios de expressão tradicionais, e deixa ao mesmo tempo transparecer uma clara visão do mundo moderno. António Gedeão morreu em 19 de Fevereiro de 1997, meses antes de ter sido homenageado pelo Ministério de Ciência e de Tecnologia. Rómulo de Carvalho ou António Gedeão, um cientista e um grande poeta português. Este nosso exemplo, mostra bem como a ciência e a arte têm uma fronteira ténue!


Fontes:
http://www.educ.fc.ul.pt/icm/icm2000/icm33/Romulo.htm
http://www.instituto-camoes.pt/cvc/ciencia/p24.html
publicado por xaimitas às 00:08
link do post | comentar | favorito
|
2 comentários:
De Tonio a 27 de Fevereiro de 2007 às 09:01
tem 1 blog mesm brutal, por mim ganhavam o programa!!!! Fikem bem e continuem axim!
De Diana Chaves a 27 de Fevereiro de 2007 às 21:33
concordo plenamente com o outr comentario, o vosso blog ta de mais! parabens rapazes!!

Comentar post

<div><a href="http://minorcrisis.net/files/Chill Out - Relax arabic - musica arabe.mp3">Chill Out - Relax arabic - musica arabe.mp3</a></div>

» Fevereiro 2007

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
20
22
23
24
25
26
27
28

» pesquisar

 

» posts recentes

» Pseudo entrevista a Rómul...

» Entrevista escrita

» A melhor opção...

» Alguns poemas...

» Sobre Rómulo de Carvalho

» Membros do clã:

Miguel Pereira chefe
Bruno Matos
Nelson Vaz
João Alves
João Siva